Taylor Swift é uma das mulheres mais poderosas do mundo em 2023, diz Forbes

A influência de Taylor Swift é reconhecida entre as mulheres mais influentes globalmente, especificamente conquistando a quinta posição, de acordo com a renomada lista da Forbes. Em uma publicação divulgada nesta terça-feira (5), a revista destacou a presença da estrela pop norte-americana de 33 anos em uma posição de destaque, atribuindo sua influência ao sucesso estrondoso da turnê “The Eras Tour” e ao impacto financeiro monumental alcançado com a turnê mundial, que se estenderá até 2024.

 

No ano anterior, a voz por trás de “Cruel Summer” ocupava a 79ª posição na lista, indicando que este ano ela escalou impressionantes 74 posições. Ela está atrás apenas de figuras políticas proeminentes, como a Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen (1º lugar), e a Vice-presidenta dos Estados Unidos, Kamala Harris (3º lugar).

 

Na sequência da classificação de Taylor Swift, a próxima figura do setor de mídia e entretenimento a aparecer é a apresentadora Oprah Winfrey, que ocupa a 31ª posição. Logo depois, Beyoncé é encontrada na 36ª colocação.

 

A Forbes ressalta sobre o ano de Taylor Swift: “É uma peça teatral brilhante, mas a Nação Swiftie entende que ela é, e sempre foi, a verdadeira fonte de seu próprio poder – e, em 17 anos de sua notável carreira, Swift nunca teve tanta influência econômica, cultural e política.”

 

A publicação destaca os diversos impactos financeiros da aclamada “The Eras Tour”, incluindo o efeito positivo no patrimônio da artista. Em outubro, foi revelado que, com a ajuda da bilheteria e dos lucros da turnê, Taylor Swift oficialmente se tornou bilionária aos 33 anos.

 

“Agradecimentos ao sucesso recorde da ‘The Eras Tour’, Swift se tornou bilionária em outubro – tornando-a a rara artista a alcançar o status de dez dígitos, juntando-se a nomes como Jay-Z (patrimônio líquido: US$2,5 bilhões) e Rihanna (US$1,4 bilhão). Uma retrospectiva de três horas e meia de sua carreira, a turnê arrecadou quase US$850 milhões ao longo de 66 shows nos EUA. Sua primeira etapa adicionou cerca de US$190 milhões, após impostos, aos cofres de Swift, aumentando seu patrimônio líquido para US$1,1 bilhão,” detalha a publicação sobre a notável jornada de shows que abrangerá regiões como Ásia e Europa no próximo ano.

 

Além da turnê comemorativa dos 10 álbuns de sua carreira, a Forbes destaca o impacto do filme do show nos cinemas, bem como o sucesso das regravações que a cantora tem lançado, revisitando sua própria discografia.

 

“Tal como aconteceu com a ‘The Eras Tour’ e o filme concerto, muito do poder de Swift decorre de seu controle direto sobre seus negócios. Mais impressionante, e potencialmente muito mais lucrativo, é a maneira como ela recuperou a propriedade de seu catálogo de músicas regravando álbuns que faziam parte de uma venda de US$300 milhões que Swift alega ter sido feita pelas suas costas,” analisa a publicação.

 

Para o próximo ano, além do lançamento de um álbum inédito, são aguardadas as regravações dos álbuns “Reputation” (2017) e do autointitulado (2006). Estas representam as duas últimas regravações pendentes do projeto “Taylor’s Version”.

 

Crédito da foto: SUZANNE CORDEIRO/AFP via Getty Images

Compartilhe o post

Outras notícias

Copyright © QG Do POP 2016~2023. Todos os direitos reservados a este site da web.